Islândia – um roteiro ilustrado para enlouquecer

11 jun, 2015 16 Comments

Muitos pedidos depois, resolvi compartilhar como foi a minha programação da viagem à Islândia. A lista de lugares e atividades que queria fazer era simplesmente impraticável para o tempo de férias que eu teria, então tive que fazer a escolha mais difícil de um viajante – ir assim mesmo ao destino e tentar aproveitar ao máximo ou deixar o lugar para uma próxima oportunidade em que tivesse mais tempo. Nem pensei, iríamos de qualquer jeito :mrgreen:

E esse roteiro vai mesmo te enlouquecer.islandia-2

Duvida? Você vai querer ver todas essas coisas e ainda vai deixar um monte de outras atividades e lugares para trás (eu deixei!) nesse país tão incrível que é a Islândia. A parte boa é que você descobre que pode voltar muitas e muitas vezes. Olha aí como ficou.

1o dia – Keflavík / Reykjavík / Golden Circle

Chegamos de manhã no aeroporto de Keflavík, mas nossa mala não chegou com a gente. Isso acabou mudando um pouco nossa programação para o dia.

Alugamos o carro e fomos para Reykjavík fazer check-in em nossa casa (alugamos um basement via AirBnB), descansar um pouco da viagem e pensar o que faríamos naquele dia. Como não estava tão frio e os casacos que tínhamos davam pra quebrar um galho, resolvemos sair para uma volta na cidade e seguimos até o Parque Nacional Þingvellir.

No caminho, encontramos os famosos cavalos islandeses. E encontramos também paisagens inacreditáveis que nos faziam parar a cada 5 minutos para fotografar. Na entrada do parque, paramos para ver o campo de pedrinhas empilhadas (elas estão em todos os lugares e no meio dos campos de lava e trilhas servem para marcar o caminho).

 

De lá, encontramos a entrada da Oxarárfoss, uma cachoeira linda que chegamos depois de atravessar uma falha com paredões de disjunções colunares de basalto – o coração da geóloga dava pulinhos!

islandia-oxararfoss

Seguimos para região geotermal de Geysir, onde fica o gêiser que emprestou seu nome a todos os outros gêiseres do mundo. A erupção do Geysir parou há alguns anos e continua sem frequência. Sua coluna d’água costumava atingir 70 metros de altura! Hoje a atração é o gêiser Strokkur que expele água quente a mais de 35 metros de altura.

Seguindo o passeio, chegamos à cachoeira Gullfoss, símbolo da Islândia. O dia terminou novamente no parque Þingvellir, onde agora fomos ver o local do mais antigo parlamento do mundo, admirar a beleza natural e colocar um pé na Europa e outro na América, na separação das duas placas tectônicas.

A Islândia é uma ilha vulcânica resultado do afloramento do magma da dorsal meso-oceânica atlântica. Isso quer dizer que a separação das placas continentais atravessa a ilha e em diversos pontos podemos brincar de colocar um pé na Europa e outro na América.

2o dia – Mergulho na Silfra / Reykjavík / Blue Lagoon

Esse dia começou cedo para nós já que tínhamos agendado o passeio “O azul das profundezas” com o Pedro, da empresa Islândia Brasil. Trata-se do mergulho na fissura da Silfra que contei aqui nesse post como foi.

O local fica no coração do parque Þingvellir. A água cristalina na fissura profunda te dá uma sensação de flutuar à medida que você se deixa levar pela calma correnteza. A visibilidade é impressionante e só é limitada pela própria densidade da água. Esse é, sem dúvida, um dos melhores locais para mergulho do mundo.

islandia-harpa

Retornamos a Reykjavík para almoçar e conhecer mais um pouco da cidade. Visitamos a Harpa Concert Hall, que é um prédio lindíssimo e muito fotogênico com um café gostoso e uma lojinha de souvenirs muito bacana (comprei um vulcãozinho de montar!). Daqui fomos conhecer a Hallgrimskirkja, a catedral de Reykjavík, que tem uma arquitetura que lembra as colunas de basalto tão presentes na natureza do país. Do alto da torre da catedral é possível avistar toda a cidade e ter uma ideia da beleza das casinhas de teto colorido.

islandia-catedral

Depois do almoço pegamos a estrada para conhecer uma das atrações mais populares da Islândia, a Blue Lagoonuma piscina geotermal ao ar livre. O lugar possui um misto de poder, relaxamento e beleza. É um spa geotermal a céu aberto que permite relaxar, aliviando o stress e o cansaço acumulado na viagem. Nas águas leitosas azuis da Lagoa Azul, você pode experimentar passar a sílica do fundo no rosto ou no corpo que dizem, tonifica sua pele. Isso eu já não sei, mas passei porque achei divertido. Ficamos por lá até às 21h que é a hora que o lugar fecha.

 

3o dia – Litoral sul / Lagoa glacial Jökulsárlón

Saímos bem cedo em direção ao litoral sul. Nossa intenção era chegar na lagoa glacial Jökulsárlón.

A primeira atração do dia foi a cachoeira Skógafoss, uma das cachoeiras mais fotografadas e belas da Islândia. O tempo não estava colaborando muito, chovia e ventava forte. Mas é sempre emocionante apreciar volumes d`água estrondosos despencando rocha abaixo!

islandia-skogafoss

Visitamos a Reserva Natural Dyrhólaey e foi uma pena não termos conseguido ver os puffins, a ave-fofa-símbolo da Islândia (já era final de temporada). Pelo menos caminhamos pelas praias de areias negras e vimos as três rochas Reynisdrangar.

islandia-4

Paramos na cidade de Vík para um lanchinho e para decidir se continuaríamos ou não a viagem. Os ventos estavam a quase 200km/h e sacudiam o carrinho quase arrancando ele do chão – estava perigoso de verdade. Decidimos avançar por mais alguns quilômetros, mas sempre atentos de que era possível que tivéssemos que desistir do passeio em algum momento por causa das condições climáticas.

Seguimos na estrada até o vilarejo de Kirkjubæjarklaustur para repor as energias, admiramos a paisagem, encontrei meu próprio Giant’s Causeway e seguimos até a área de Skaftafell, no Parque Nacional Vatnajökull, onde está a maior geleira da Europa (daqui você verá a montanha mais alta da Islândia, Hvannadalshnjúkur).

islandia-5

Esse foi o momento crucial do dia. Quando avistamos a geleira, sabíamos que estávamos muito perto de nosso destino, mas os ventos estavam extremamente fortes e alternava uma chuva horrorosa com pedaços de céu aberto. Não era prudente continuar em direção a Mordor (!) – as nuvens negras e relâmpagos cobriam o caminho a frente de uma forma assustadora e o barulho do vento só fazia piorar o cenário. Atrás de nós o céu já se abria de uma forma muito mais receptiva para uma viagem de retorno. Deixamos de ver a lagoa Jökulsárlón para voltarmos em segurança para casa.

E fomos nos divertindo, paramos para ver o vulcão Eyjafjallajökull, que fechou o espaço aéreo europeu em 2010 e vimos a geleira Mýrdalsjökull.

islandia-9

Ainda tivemos tempo para mais uma cachoeira – Seljalandsfoss. É possível caminhar por detrás da queda d’água. E descobrimos que a cobertura de celular da Vivo chega até aqui 🙂

islandia-10

4o dia – Vulcão Þríhnúkagígur

Esse era um dos passeios que eu estava mais ansiosa para fazer. De novo, o coração da geóloga quase teve um treco de emoção.

A ida ao vulcão Þríhnúkagígur é um passeio único que te leva literalmente ao interior de um vulcão adormecido, através da cratera no topo e até o fundo da câmara magmática (!!!) que no passado já esteve cheia de lava fumegante.

 

O adormecido Þríhnúkagígur é um fenômeno natural único. Colocando o equipamento necessário, essa aventura abre portas para um novo mundo. E não é nada complicado ter essa experiência, somente uma caminhada moderada por um campo de lava deslumbrante de 45 a 60 minutos e depois a coragem de descer pela cratera em um elevador suspenso por cabos. Lá dentro, só emoção!

islandia-14

Aquela luzinha lá em cima é a única saída!

5o dia – Península Snæfellsnes

Hoje era dia de nos aventuramos em direção ao vulcão de Júlio Verne. Passamos pelo fiorde Hvalfjörður (fiorde da Baleia) até a região agrícola de Borgarfjörður.

Um dos momentos altos do dia foi a cratera Eldborg e o paredão com colunas de basalto simétricas de Gerðuberg.

 

Paramos em um posto para um sorvetinho e começamos a conversar com a atendente que nos contou que a praia das focas ficava ali do lado. Ah Júlio Verne, vulcão eu já tinha visto, mas focas ainda não :mrgreen:

Seguimos para a praia das focas. O local é repleto de incríveis paisagens, praias com focas dormindo, algumas de areias douradas e outras de areias negras. Ficamos horas e horas observando e sendo observados pelas focas. Elas são muito curiosas e organizadas. No horário que chegamos lá, quase todas estavam dentro d`água e iam e viam nos ver de pertinho perto das pedras. Foi uma experiência muito incrível.

 

E ainda fomos abordados muito de pertinho por um cavalo que enfiou a cara pela janela do carro!! Como já ia escurecendo, não seguimos para o vulcão adormecido Snæfellsjökull, a “entrada para o centro da Terra”. Ficou para a próxima.

islandia-19

6o dia – Observação de Baleias / Península Reykjanes / Região geotermal de Krýsuvík

Pela manhã saímos em busca de uma aventura em alto mar. Aqui na Islândia tem muitas rotas de migração de baleias e é relativamente comum avistá-las perto da costa. No norte do país é possível até mesmo ver baleias azuis, os maiores animais do planeta!

islandia-baleia

Há vários passeios que são oferecidos no porto de Reykjavík com saídas durante todo o dia a depender da época do ano e do clima no dia. Nesse dia chovia e ventava, mas não o suficiente para impedir a saída de nosso barco. Porém, acho que foi o suficiente para esconder todas as baleias 🙁 Para não dizer que saímos de mãos abanando, houve golfinhos e minks com a gente! Sempre vale a experiência, mas se você tem problemas com barcos em alto mar revolto, só faça o passeio se a condição climática estiver favorável.

Tiramos o resto do dia para conhecer a península Reykjanes, com destaque para a ponte entre dois continentes, ligando a Europa à América.

islandia-21

islandia-22

Dali visitamos a região geotermal de Krýsuvík e os imensos penhascos com ninhos de pássaros. Muitos campos de lava e cones vulcânicos no horizonte. Vimos também uma usina geotermal.

islandia-23

islandia-23

7o dia

Esse dia estava planejado para aproveitarmos mais um dia de passeios na Islândia, porém os horários dos voos estavam complicados para nós e acabamos embarcando ainda pela manhã. De manhã, fizemos check-out e rumamos para o aeroporto de Keflavík para entregar o carro e fazer os procedimentos de embarque.

islandia-24

Foi um verdadeiro maraturismo, eu sei, mas valeu cada minuto. Estamos planejando nossa volta para percorrer o país, dessa vez alternando a cidade de base, partindo em busca da aurora boreal. Aguardem!

Leia mais sobre Islândia:

Islândia – planejando a viagem

Silfra – um mergulho glacial na Islândia

E leia também mais dicas no blog Quarto de Viagem

 

 

Siga o Ensaios de Viagem no Instagram: @ensaiosdeviagem

E curta a nossa fanpage no Facebook: facebook.com/ensaiosdeviagem

 

Camilla Kafino

16 Comments

  1. Responder

    Cristiane

    12 jul, 2017

    Olá, vc lembra o nome dessa praia das focas?

    Responder

    julho 13th, 2017
    Camilla

    Cris, se não me engano era Ytri Tunga Beach =)
    um abraço.

    Responder

  2. Responder

    Cristiane

    12 jul, 2017

    Olá, como vc fez para fazer o passeio do vulcão Þríhnúkagígur? Foi com agência ou com carro alugado? A rota é tranquila de fazer em carro sem 4×4?

    Responder

    julho 13th, 2017
    Camilla

    Oi Cristiane,
    nós fomos de carro alugado até o lugar. É muito fácil chegar, não precisa ser 4×4, só asfalto. Você chega na sede do passeio e de lá o grupo sai a pé até a base avançada onde fica a entrada do vulcão.
    Qualquer outra coisa, estou à disposição,
    Camilla

    Responder

  3. Responder

    Comprar no Pede Oertas

    7 abr, 2017

    Adorei o seu post. Sempre entro aqui para me divertir.

    Já enviei no g+ e os meus contatos estão curtindo.
    Ótimo trabalho!

    Responder

  4. Responder

    gisele

    6 fev, 2017

    Ola! Adorei o relato. Valeu por partilhar.
    Que mês vc foi? Vou agora em março e estou um pouco preocupada com o roteiro (super cheio!) por conta do clima.

    Responder

    fevereiro 9th, 2017
    Camilla

    Oi Gisele,
    fui em agosto e mesmo no verão tava um frio danado, fora que o clima muda de uma hora pra outra, tem que estar preparado pra mudar a programação do dia, durante o dia 🙂 a gente teve que fazer isso!
    Agora, quanto ao roteiro, acho impossível não ter a programação mega cheia!! Tem muita, mas muita coisa pra ver e fazer por lá. Já tenho programação pras próximas 3 viagens pra lá, no mínimo, hehehe.
    Quando voltar, me conta como foi!
    um grande beijo e boa viagem.

    Responder

  5. Responder

    Flávia Donohoe

    25 nov, 2016

    adorei o roteiro, dá pra ver quase todos os pontos principais, eu adorei o país e quero voltar logo! Lindas fotos, beijos

    Responder

    novembro 25th, 2016
    Camilla

    Oi Flávia,
    eu também não vejo a hora de voltar!! que país deslumbrante e apaixonante 🙂
    obrigada pela visita e volte sempre.
    um beijo,
    Camilla

    Responder

  6. Responder

    Bruna Silva

    15 out, 2015

    Estava procurando referências no google sobre a Divina Pousada em Pirinópolis e encontrei seu blog! Quando vi que vc tinha posts sobre a Islândia, fiquei fã! Estivemos lá em outubro do ano passado e ficamos maravilhados. Tá no nosso top 5 de viagens! Bom saber que outros brasileiros tb tem ido e gostado (impossível não gostar, né?). Agora que aprendi o caminho, voltarei mais vezes ao seu blog, hehe 🙂

    Responder

    outubro 17th, 2015
    Camilla

    Oi Bruna,

    muito obrigada pela visita =)
    A Islândia é um lugar maravilhoso, sonho todos os dias em voltar, só tenho dificuldade em conseguir deixar de ir em um lugar novo para “repetir”, hihi. Mas uma hora eu volto, ainda tem tanta coisa linda que queria ver por lá!
    E a Divina Pousada é outro paraisinho aqui pertinho, você foi? Gostou?

    um beijo e obrigada pela visita! Volte sempre.
    Camilla

    Responder

  7. Responder

    Guta | Blog Vambora!

    13 out, 2015

    Camila, estou devidamente enlouquecida! 😀
    Não tinha ainda visto esse post completão do roteiro da viagem de vocês!! Favoritei todas as dicas pois essa é mesmo uma viagem dos sonhos! Adorei!
    Espero muito mesmo conseguir ir lá logo ver tudo de perto 🙂
    Bjus

    Responder

    outubro 17th, 2015
    Camilla

    Que legal, Guta!
    Sonho sempre em voltar, a dificuldade é conseguir deixar de ir em um lugar novo =)
    Mas tenho certeza que ainda voltarei, sim, ficou muita coisa para ver. Torcendo pra você ir logo, também!

    Um beijo e obrigada pela visita =)
    Camilla

    Responder

  8. Responder

    Bóia

    29 jun, 2015

    Oi, Camila. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    Responder

    julho 1st, 2015
    Camilla

    Oi Nat! que honra, que lindo, que feliz!!!!!

    um beijo,

    Responder

LEAVE A COMMENT

RELATED POSTS