Cachoeira em Pirenópolis – Reserva do Abade

3 jan, 2015 15 Comments

Como falei no post sobre Pirenópolis, cachoeiras são minhas atrações favoritas no cerrado. E minha favoritíssima em Pirenópolis é sem dúvidas a Cachoeira do Abade.

pirenópolis-3

As razões de amar esse lugar é que a Reserva do Abade não fica nem longe demais da cidade (como é o caso da Cachoeira dos Dragões) e nem tão perto (como as cachoeiras Bonsucesso e Lázaro), logo ela lota menos e, na minha mais sincera opinião, ela tem a melhor estrutura de todas.

A Cachoeira do Abade

cachoeira-abade-1

Hoje a Reserva do Abade conta com duas opções de trilha, com quatro cachoeiras no total. 

Minha dica – faça a trilha longa (trilha 2). O valor é diferenciado, mas a experiência compensa. Nessa trilha, todo o acesso está calçado (tá gente, sei que tem prós e contras a esse respeito, mas o que vi ali está 100% adequado para o uso e acaba minimizando os impactos da visitação), há sinalização indicando as atrações, você passa por diversos mirantes para observação, duas cachoeiras exclusivas dessa trilha e finaliza o passeio com um mergulho no poço do Abade.

A cachoeira do Sossego é um achado no meio da trilha, fica ali toda tímida, mantendo um poço convidativo para se refrescar. E lá fomos nós! Praticamente passamos nosso dia todo aqui. Estávamos sozinhos, aproveitando daquele poço de borda infinita, com águas refrescantes e um solzinho gostoso. Daqui a pouco apareceram vários macacos! Curiosos, mas cautelosos, eram algumas fêmeas e filhotes de macaco Bugio, eles são uma graça, enormes e amarelos! Se esconderam quando me viram tentado fotografá-los – são tímidos, eu entendo :mrgreen:

cachoeira-abade-3

A dificuldade foi deixar esse pedacinho de paraíso para seguir a trilha. Mas a hora já estava bem avançada e a reserva fecha às 16h e os visitantes tem que sair às 17h! Seguimos até o Mirante dos Bugios e não teve como ser uma visita rápida… uma vista incrível para uma mata que abriga os bugios, que volta e meia aparecem por ali também. Enquanto admirávamos o lugar, avistamos um urubu-rei levantando voo e acendendo com a térmica! Coisa mais linda de se ver.

 

Hora de continuar e a próxima parada foi o aquário natural. Aqui não é permitida a entrada na água para banho porque esse pequeno poço abriga uma quantidade enorme de peixinhos que provavelmente usam o lugar como berçário. E aqui no aquário é possível um encontro que pode não agradar a todos – por ser uma área de vereda (parte alagada de solo argiloso, caracterizada pela presença de palmeiras de buritis) é também o lar das jiboias do cerrado. Mas não se assuste, elas são tímidas, não são venenosas e as chances de vê-las nem são tão grandes assim!!

cachoeira-abade-9

Dali a trilha nos leva pelo meio da mata ciliar, sempre acompanhados do som das águas. Uma delícia. E chegamos na Cachoeira do Landi, que tem esse nome devido a uma árvore (o landi) enorme que serve de abrigo na entrada do poço.

Mais uma vez a cachoeira era só nossa!! Que delícia é curtir esses momentos de paz e tranquilidade em meio a natureza. São momentos de plena satisfação e encontro com o melhor de nós. Ficamos ali, mergulhando, curtindo, nadando, até que o rapaz da reserva chegou para nos avisar que já era hora de começarmos a voltar.

cachoeira-abade-10Seguimos a trilha em direção à queda do Abade, mas não se pode chegar sem antes atravessar a ponte suspensa!!! Adoro essa parte.

Ao final da ponte há um cadeado que restringe o acesso de quem pagou apenas para visitar a cachoeira do Abade (apenas quem  vem pela trilha longa tem o código para abrir o cadeado).

cachoeira-abade-11

Nesse dia como já tínhamos perdido um pouco a hora enquanto nos deliciávamos com as belezas do cerrado, acabamos passando direto pelo cânion, que é um delicioso poço para nadar com uma pequena queda d’água, e fomos direto para as águas do Abade.

cachoeira-abade-12

Incrivelmente nesse dia, as águas daqui, que costumam ser tão gélidas, estavam deliciosamente refrescantes! Só deu tempo mesmo de um mergulho para ir embaixo da queda d’água, ser massageado por alguns minutos e voltar. Já tinha dado a hora de encerrar a visita e o rapaz que controla o acesso dos visitantes já nos esperava na borda para nos acompanhar até a saída.

Um dia inesquecível.

SERVIÇO:

Reserva do Abade – Fazenda Cabaçais, km 16 da Estrada dos Pireneus, Pirenópolis – GO.

Horário de Funcionamento – 9h às 16h

Contato – 062 9132-9694

fb.com/CachoeiraReservaDoAbade

Valor – R$20 por pessoa para a Trilha 1 | R$30 por pessoa para a Trilha 2

 

Quer dicas de hospedagem em Pirenópolis? Veja aqui nossa indicação de pousada.

 

Siga as hashtags #EnsaiosEmPiri e #EnsaiosDeViagem para ver mais fotos.

 

 

 

Camilla Kafino

15 Comments

  1. Responder

    Michele

    8 jun, 2017

    Gostaria de saber se crianças pagam? Se sim, apartir de qual idade?

    Responder

    junho 27th, 2017
    Camilla

    Oi Michele, não sei te informar sobre isso, mas você pode perguntar diretamente para eles, no post tem o telefone de contato para informações.
    um abraço e obrigada pela visita

    Responder

  2. Responder

    Rúbia

    12 abr, 2017

    Amei o post.
    Senti que fez com muito, muito carinho.
    Irei mês que vem em Piri e quero conhecer e fazer a trilha 2.
    Um beijo.

    Responder

  3. Responder

    Estevão Santos

    5 jul, 2016

    Olá Camilla,

    Queria saber em qual ponto da reserva do abade e em qual horário você viu o urubu-rei, obrigado.

    Responder

    julho 13th, 2016
    Camilla

    Olá Estevão,

    vimos o urubu-rei no mirante da trilha nova que, se não me engano, chama mirante do urubu-rei =) foi na parte da tarde, por volta das 15-16h.
    obrigada pela visita e um abraço,
    Camilla

    Responder

  4. Responder

    Andre Trindade da Silva

    12 abr, 2016

    Olá, parabéns pelo post almas do bem. Gostaria de passar o dia inteiro no Abade, em dia útil, assim aproveito tarifa mais interessante na Divina pousada e aproveito a cachoeira. Pergunta 1 – Abade funciona durante a semana? 2- Há lugar para almoçar por lá ou podemos levar nosso lanche? Obrigado e good trips para vcs.

    Responder

    abril 15th, 2016
    Camilla

    Oi Andre,
    o Abade funciona sim durante a semana, mas de qualquer forma seria prudente confirmar diretamente com eles. Lá tem uma lanchonete, mas não tem o menor problema você levar seu próprio lanche, que aliás, é sempre melhor =)

    Muito obrigada pela visita e um abraço pra você,
    Camilla

    Responder

  5. Responder

    Gilmeri

    28 mar, 2016

    Olá, boa noite!!! Adorei a dica do passeio na reserva do Abade. Vou para Pirenópolis no mês que vem, mas será uma visitinha relâmpago e acredito que este seria um ótimo passeio. Gostaria de saber quanto tempo de duração para aproveitar todo o percurso da Trilha 2. Valeu! 😉

    Responder

    abril 7th, 2016
    Camilla

    Oi Gilmeri,

    esse dia nós ficamos cerca de três horas na reserva do Abade, dá pra fazer a trilha 2 toda e aproveitar bastante. Se você tiver menos tempo do que isso, priorize uma das cachoeiras para ficar mais tempo e aproveitar. Acho que vale muito a pena essa trilha, certeza que você vai curtir.
    Qualquer dúvida, só perguntar.
    Um abraço,
    Camilla

    Responder

  6. Responder

    Rapha Aretakis

    6 jan, 2015

    Babei nas fotos acompanhando “ao vivo” e agora tô babando nos posts. Que delícia. Nesse calor, então, dá vontade de largar tudo e ser feliz numa cachoeira de Piri <3

    Responder

    janeiro 6th, 2015
    Camilla

    Vem Rapha!
    vou adorar te levar pra passear por aqui =)
    beijão,

    Camilla

    Responder

  7. Responder

    Lu Tesch

    6 jan, 2015

    Que delícia! Tanto tempo que não tomo um banho de cachoeira! Acho o ambiente mais gostoso que praia. Eu sei, sou exceção, mas é verdade! Bjs!

    Responder

    janeiro 6th, 2015
    Camilla

    Que legal Lu, mas você nem é exceção nada, aqui no cerrado a gente é criado debaixo da cachoeira e tem muita gente por aqui que prefere essa água geladinha do cerrado =)
    obrigada pela visita e um beijão,

    Camilla

    Responder

LEAVE A COMMENT

RELATED POSTS